Parte da visão da Virtus DI de transformar organizações a partir da transformação integral do ser humano conseguimos alcançar com o Thinking Environment, um modelo de interação humana que vem se provando muito eficaz para criar reuniões mais produtivas, conduzir mentoria, coaching, entrevistas, apresentações, geração de soluções e processos de inovação – tudo garantindo que o outro pense por si mesmo.

Este trabalho emerge a partir de uma observação e uma pergunta. A observação é seca, mas as implicações são de arrepiar.

“A qualidade de toda e qualquer ação humana depende do pensamento feito antes da acão.” (Nancy Kline)

Então, se você tem interesse em gerar melhores decisões, que levam a melhores ações, a habilidade mais importante que precisa adquirir é conseguir gerar melhores pensamentos e ajudar as pessoas ao seu redor a pensarem por si mesmas – com criatividade, imaginação e coragem.

E como ajudamos as pessoas a pensarem por elas mesmas?

O fator mais importante que faz com que as pessoas consigam ou não pensar com qualidade por si mesmas está diretamente relacionado com a forma como são tratadas enquanto estão pensando.

Nancy Kline, após mais de 20 anos de pesquisa e observação, chegou em alguns comportamentos, mais tarde descritos como os Dez Componentes do Thinking Environment, que aparentemente tem um efeito poderoso em gerar alta qualidade de pensamento nas pessoas. Pode soar estranho mas, sim, a forma com que me comporto e trato o outro influencia a qualidade do pensamento dele. Esta forma de tratar inclui um nível de atenção profunda, interesse e genuína curiosidade, além de outros componentes que passam pela igualdade, diversidade, apreciação e outros… A mente parece ter um funcionamento excepcional na presença desses componentes.

Criar este Ambiente de Pensamento pode ser rápido, mas exige alguma habilidades. Mas antes de querer aprendê-las, é importante se perguntar: Será que desejo realmente que as pessoas pensem por si mesmas? Será que estou preparado para escutar o que as pessoas realmente pensam, sentem ou gostariam de dizer?

Há uma empresa do setor financeiro em São Paulo cujo CEO está virando a cultura organizacional do avesso! Vencendo muitas resistências, ao mesmo tempo que ganha muitos seguidores, ele está implementando a cultura de um Thinking Environment a começar pelas reuniões e, aos poucos, permeando toda a organização. Começou por oferecer treinamento para os líderes e logo serão mais de 200 pessoas capacitadas e com habilidades de criar um Thinking Environment. O que acontece quando um líder decide escutar o que as pessoas realmente pensam, ou sentem ou gostariam de dizer – mesmo dentro de uma hierarquia?

lideres-01
O resultado são pessoas mais engajadas, comprometidas e com relações mais verdadeiras e autênticas, encontrando espaço para expressarem o que são, ao invés de carregarem uma máscara para serem o que esperam que elas sejam. Não é de se surpreender que tudo isso reflita diretamente no nível de produtividade e alcance das metas.

Fora do Brasil já há mais de 30 anos de trajetória na Nancy Kline e uma porção de gente que ela influenciou e que seguiu um caminho de qualificação para facilitadores, coaches, mentores e consultores. As aplicações são inúmeras: organizações, governo, escolas, universidades, hospitais…

Se você deseja aprender a “SER” um Ambiente de Pensamento, já que se trata de um conjunto de comportamentos e habilidades, fale conosco. E se quiser descobrir mais sobre o assunto, cheque nossa sessão de artigos e publicações.